McDonald’s franquia que mais fatura no Brasil

McDonald’s é rede de franquias que mais fatura no Brasil

O faturamento do setor de franquias triplicou desde 2001, segundo ABF; O Boticário é a primeira em quantidade de lojas

A Associação Brasileira de Franquias divulgou hoje o balanço do setor em 2010. A rede que mais faturou no ano passado foi o McDonald’s. Em número de unidades, o topo da lista é ocupado pelo O Boticário.

O setor de franquias teve um crescimento de 20,4% no faturamento em 2010 na comparação com 2009, de acordo com a Associação Brasileira de Franquias (ABF) e conforme havia sido antecipado por EXAME.com.

As maiores Franquias

O ranking de quantidade de lojas da ABF teve poucas modificações em relação aos outros anos. O Boticário ainda é a maior rede, com 3134 unidades. Em seguida, Kumon, Colchões Ortobom, McDonald’s e L’Acqua di Fiori compõem o topo da lista.

Quando o assunto é faturamento, as marcas trocam posições. A franquia que mais fatura no Brasil é a da rede de fast-food americana McDonald’s. Apesar de ter sido ultrapassada pelo Subway nos Estados Unidos, por aqui a rede se mantém na frente em unidades e faturamento.

O Boticário, Dia, Bob’s e Habib’s ocupam, respectivamente, as próximas posições no ranking. Por uma questão de confidencialidade, a ABF não revelou os valores em reais.

Em crescimento, as redes mais novas tiveram o melhor desempenho. A Igui, que vende piscinas, mais que dobrou sua operação. Outros destaques foram a Poderoso Timão, a D´Pil, a Casa do Sorvete Jundiá e a Pink Biju.

76 bilhões de reais

Em valores, o setor faturou R$ 75,987 bilhões no ano passado. “Nós tínhamos previsto um crescimento tímido de 15% no começo do ano”, conta o diretor executivo da Associação Brasileira de Franquias (ABF), Ricardo Camargo.

Segundo ele, o crescimento do setor está diretamente relacionado ao desempenho da economia brasileira. “Quando o Brasil vai economicamente bem, as franquias pegam carona”, diz.

Além disso, as franquias também faturaram com a classe C, tanto na venda de novas unidades quanto no consumo. “A classe C tem se sobressaído com um poder de consumo muito forte”, explica. As microfranquias, com investimento de até 50 mil reais, chegaram a mais de 50 redes. “Um crescimento impressionante nos últimos dois anos”, afirma.

Comida cresce mais

A área de alimentação foi, mais uma vez, a que mais cresceu, com 39,9% de aumento no faturamento. “Os números contrariam quem diz que o setor está saturado e não cabem novas unidades”, opina Camargo. Novas redes, como as de frozen yogurt, impulsionaram esse resultado.

Os maiores crescimentos, depois das redes de alimentação, foram em acessórios pessoais e calçados, vestuário, móveis, decoração e presentes, esporte, saúde, beleza e lazer e hotelaria e turismo.

Fonte: Exame

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*